Free songs

Os sete erros capitais de Felipão

jul 9 • Copa do Mundo, Destaques, Seleção Brasileira, TICKERComentários desativados em Os sete erros capitais de Felipão

O Brasil foi eliminado da Copa do Mundo de forma vexatória e o técnico Felipão veio a público assumir a culpa pelo fiasco. Como comandante, o treinador afirmou ser o responsável pelas escolhas na seleção e, portanto, o grande culpado da frustrante despedida da seleção, que deu adeus ao Mundial com uma goleada impiedosa para a Alemanha por 7 a 1.

Depois da conquista da Copa das Confederações, no ano passado, o treinador acumulou equívocos que acabaram sendo letais para a seleção brasileira. O Blog aponta agora os sete erros capitais de Felipão.

Gratidão

Fiel à “Família Felipão”, o treinador se amarrou de forma equivocada ao grupo campeão da Copa das Confederações e morreu abraçado com a maior parte dos jogadores daquela conquista. Ciente de que futebol é momento, o treinador não respeitou o bom desempenho de outros atletas e sobretudo o mau desempenho de alguns titulares da conquista de 2012, que chegaram abaixo do esperado para a disputa da Copa do Mundo no Brasil.

Titulares

De olhos vendados pela conquista da Copa das Confederações, Felipão manteve a mesma formação campeã do ano passado na estreia e demais jogos da primeira fase. O time não rendeu o esperado e o treinador, de forma turrona e irresponsável, não mudou o time, mantendo a mesma equipe sem sintonia e pegada durante toda a primeira fase.

Felipão x Imprensa

Pressionado pelo mau futebol e pelos erros de arbitragem a favor do Brasil, o comandante brasileiro mostrou seu lado mais perverso com a imprensa. Foi ao embate com jornalistas e buscou, em vão, colocar a seleção brasileira como vítima e imprensa como vilã em muitos momentos, numa atitude já manjada em sua trajetória, sobretudo pelo futebol paulista.

Folgas x Treinos

A seleção vencia, mas não convencia na Copa do Mundo. Por outro lado, o Brasil não treinava. O ritmo de trabalho não tinha a mesma pegada das principais seleções na disputa. Jogadores tiveram cinco folgas durante a caminhada até a semifinal mesmo com o time apresentando erros de posicionamento e atletas com mau desempenho em campo.

Treinar posicionamento e testar novas formações seriam o esperado, mas não aconteceu. O time trabalhou pouco, é fato.

Desconhecimento

Os principais rivais brasileiros se destacavam e mostravam em campo um futebol superior ao da seleção brasileira. No entanto, Felipão ignorou isso, sobretudo o desempenho da Alemanha, algoz do Brasil na semifinal.

Com a bola rolando, ficou claro a ignorância do treinador em relação a forma de jogar da seleção europeia. Foi um passeio em campo.

Intocáveis

A seleção brasileira terminou a sua trajetória na Copa do Mundo com jogadores intocáveis no time titular. Oscar, que deveria ser um meia de criação, teve uma boa estreia e depois não conseguiu jogar nos demais jogos. Paulinho também esteve presente durante toda a primeira fase mesmo apresentando desempenho pífio.

Por outro lado, Willian, que brilhou nos jogos pré-Copa, teve seu bom momento ignorado pelo treinador.

Já Fred cumpriu uma péssima Copa do Mundo, sendo talvez o pior atacante da seleção brasileira na história dos Mundiais, mas mesmo assim esteve presente em todos os jogos para revolta da torcida brasileira.

Falta de humildade

Diante da favorita Alemanha, o treinador brasileiro errou antes e durante o jogo, o que acabou sendo fatal para a eliminação brasileira. Felipão optou por não fechar o time, mesmo ciente do mau desempenho da seleção e principalmente da superioridade tática e técnica do rival.

No jogo, o treinador assistiu de forma passiva, anestesiado, o Brasil dar adeus à Copa ainda no primeiro tempo. Seleção e atletas acabaram sendo vítimas da visão tacanha do treinador de enxergar o futebol moderno. O Brasil pagou um preço alto pela falta de humildade do comandante em assumir a inferioridade perante o rival e fechar o time, jogando por uma bola.

Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Comentários

Related Posts

« »