Free songs
milton

“O Corinthians é o maior!”

out 27 • Atlético-MG, Atlético-PR, Bahia, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Entrevista, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Santos, São Paulo, Sem categoria, Times, Vasco, Vitória1 comentário em “O Corinthians é o maior!”

Apesar de perseguir o time do povo com seguidas provocações, o jornalista e publicitário Milton Neves se rende à Fiel, classificando o Alvinegro como o maior clube do país e profetiza: “Eu adoro o Corinthians e quero que o clube tenha vida eterna, pois se o Corinthians sumir, acaba a crônica esportiva brasileira.”

Acompanhe a segunda parte da entrevista com o apresentador de rádio mais polêmico do país, que revela também o seu maior arrependimento e, curiosamente, envolvendo o seu clube do coração.

Acompanhem!

Blog Salgueiro FC – Você adora provocar o Corinthians. É uma paixão enrustida pelo time do povo?

Milton Neves – De burro eu não tenho nada. Não adianta provocar a Portuguesa. O Corinthians é o maior. É o time que tem o nome mais bonito do mundo. É a camisa mais forte disparada do Brasil, porque a torcida do Corinthians está concentrada no estado de São Paulo, onde tudo é melhor, e quem está opinando é um mineiro.

Quem carrega o Brasil nas costas é São Paulo. Se não tivéssemos tanta mala para carregar, nós seríamos uma Alemanha, um Estados Unidos, seríamos, sem dúvida, um país de primeiríssimo mundo.

A verdade é que o Corinthians dá retorno. Eu adoro provocar o Corinthians. Mas ninguém reconhece mais o Corinthians do que eu, que até inventei a frase: Corinthians, nada é mais bonito.

– Mas e a rejeição da Fiel não preocupa?

– 99% da torcida corintiana saca que eu só estou enchendo o saco, mas 1% me odeia mesmo, eu sei disso.

– As provocações então são puro marketing?

– Não entendo muito essa coisa de psicologia e nem sei se seria bullying, mas lá em Muzambinho (MG), 80% da cidade era tudo torcedor do Corinthians. Haviam dois torcedores da Portuguesa, que já morreram, e eu de santista. Até hoje, corintiano é igual a pardal, tem para todo lado.

Então, era só encheção de saco. O Santos jogava domingo, na Alemanha; terça-feira, em Luxemburgo; quinta-feira, na Bélgica; sábado, na Itália; e de vez em quando perdia um amistoso. Quando eu chegava na porta do colégio, havia um batalhão de meninos, todos meus amigos, me esperando para tirar um sarro.

Quando o Corinthians quebrou o tabu, em 6 de março de 1968, eu me senti um Obama (Barak Obama, presidente dos Estados Unidos), pois estava toda a cidade na porta do colégio para me gozar.

Quando o Santos fugiu de campo, em 15 de agosto de 1963 – o São Paulo vencia por 4 a 1 – aquilo foi um inferno na minha cabeça e principalmente os corintianos vieram encher meu saco.

– Então, o Corinthians é um trauma que você carrega desde criança?

Então, eu posso carregar no inconsciente algo contra o Corinthians, mas não sei. O Corinthians daquela época era uma porcaria, ruim demais. Mas, na verdade, eu adoro o Corinthians e quero que o clube tenha vida eterna, pois se o Corinthians sumir, acaba a crônica esportiva brasileira.

– Você “adotou” alguns clubes pelo país. Mas o coração é só Santos?

– Claro. Sou só Santos. Tenho, sim, essa tática, por exemplo, sou ABC contra o América-RN; Bahia contra o Vitória; Coritiba contra o Atlético-PR; Galo contra o Cruzeiro; mas na verdade eu não sou nada, apenas Santos Futebol Clube.

– Mas o Santos é responsável pelo seu maior arrependimento, correto?

– Estou ainda com muita raiva do Laor (Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro) e do Odílio (ex-presidente e vice do Santos), pois eu que elegi os dois nas eleições do clube e foram pífios, horrorosos, não souberam administrar a locomotiva, o boeing chamado Neymar. São pessoas honestas, mas incompetentes.

Se o Neymar não existisse, o Laor teria sido um presidente normal. Mas o episódio Neymar deixou ele transtornado, fora de si, achando que já era um Pelé. Eu me arrependo de ter ajudado a eleger os dois para a presidência do Santos. Laor não tinha condição de ser presidente, muitos menos o Odílio de ser vice. E quando o presidente saiu, o vice deveria ter saído junto.

Eu não deveria ter me metido nunca nessa eleição do clube.

– Ser presidente do Santos não te fascina mais?

– A maior bobagem que eu falei na vida é que seria presidente do Santos. Nunca serei presidente de nada e por um simples motivo: achava que eu teria um gabinete e pronto, estava tudo resolvido. Nada disso! Como presidente, você tem trilhões de coisas para fazer. Só fui vice-presidente da Aceesp (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo) e já está bom demais.

Devo muita coisa ao Santos, que norteou a minha vida profissional, pois através do clube, conheci o rádio. Mas nunca serei presidente.

*Nesta quarta-feira, o polêmico Milton Neves fala de política e revela ao Blog para quem votará para Prefeito de São Paulo. Aguardem!

Foto: Divulgação

Posts Relacionados

One Response to “O Corinthians é o maior!”

  1. Alessandro Furquim de Andrade disse:

    Acho q ele ganharia muito mais grana se só elogiava o Corinthians, pois é o maior do Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE